a
Vendas de móveis no varejo crescem em marçoForest News | Forestnews

Vendas de móveis no varejo crescem em março

Segundo dados do IEMI em parceria com a ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário), as vendas de móveis e colchões no varejo em março de 2023 registraram aumento, embora com valores abaixo ao mesmo período do ano anterior.

No último mês de março foram vendidas cerca de 29,0 milhões de peças de móveis e colchões no varejo nacional, o que representa um crescimento de 13,1% em relação a fevereiro.

Apesar desse salto, o resultado é 6,2% inferior ao de março de 2022. Com o desempenho negativo nos últimos 12 meses chegando ao final do primeiro trimestre de 2023 acumulando 12,0% de recuo — o número era de -11,7% até fevereiro.

Em contrapartida, quando avaliada a receita, as vendas de móveis atingiram R$ 9,0 bilhões em março de 2023, representando um aumento de 13,3% em relação ao mês anterior. Na variação anual, o setor registrou um crescimento de 3,7% em relação a 2022. Já considerando o acumulado dos últimos 12 meses, o índice mostrou evolução de 0,8%.

Por falar em receita, no que diz respeito aos preços, o estudo revela que o valor médio dos móveis no varejo foi de R$ 278,62 por peça em março de 2023. O valor é 0,14% superior ao praticado em fevereiro e voltou a subir na passagem de março para abril: +0,39%, ficando em R$ 279,71.

No segmento de colchões, no entanto, a tendência foi outra. O preço médio dos colchões no varejo registrou aumento significativo em março, atingindo R$ 570,08 por peça, um crescimento de 2,17% em relação ao mês anterior. O valor, contudo, voltou a se estabilizar no mês seguinte, com os preços dos colchões caindo 2,18% e ficando em R$ 557,65 em abril de 2023.

Para entender essa conjuntura ambígua, porém, é necessário compreender o impacto do cenário econômico sobre o varejo de móveis. Enquanto o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou média nacional de 2,09% no primeiro trimestre de 2023, o setor de móveis foi um pouco menos afetado no ano, fechando os primeiros três meses com avanço de 1,40%. De janeiro a abril, leves aumentos: 2,7% no índice geral e 1,79% no setor de móveis.

Ao olharmos para o acumulado dos últimos 12 meses até março de 2023, contudo, esse consolidado segue trajetória desfavorável. A inflação sobre o mobiliário acumulou alta de 12,40% na variação. Resultado muito acima da média nacional, que foi de 4,65%. Em abril, no entanto, a inflação acumulada no setor de móveis em 12 meses caiu para 11,05%, mas ainda muito distante dos 4,18% do IPCA geral, demonstrando a dificuldade do setor em se manter competitivo no varejo.

Os dados completo da última edição da Conjuntura de Móveis pode ser acessada neste link.

Compartilhe