a
Varejo de móveis e colchões acumula queda nas vendas em 2023admin | Forestnews

Varejo de móveis e colchões acumula queda nas vendas em 2023

Após crescer 13,1% na passagem de fevereiro para março de 2023, o volume de vendas de móveis e colchões no varejo nacional voltou a sofrer queda, registrando um declínio de 6,7% em abril na comparação com o mês anterior.

Sem acompanhar a leve evolução da indústria, que cresceu 2,4% em volume produzido no ano, as vendas da categoria no varejo caíram 6,4%
de janeiro a abril de 2023 em relação ao mesmo período em 2022. Com isso, o recuo acumulado nos últimos 12 meses ficou ainda maior: -12,1% até abril.

Os dados fazem parte da mais recente edição da “Conjuntura de Móveis”, estudo desenvolvido pelo IEMI com exclusividade para a ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário) junto a fontes oficiais de pesquisa.

O estudo demonstra que também em termos de receita o resultado do quarto mês foi negativo: – 6,4% na passagem de março para abril deste ano, quando foram comercializados o montante de R$ 8,4 bilhões em móveis e colchões no comércio varejista brasileiro.

Interessante pontuar, todavia, que quando se trata da receita acumulada no primeiro quadrimestre de 2023, o resultado é melhor do que no ano passado: +2,8%. Nos últimos 12 meses houve estabilidade: +0,3%.

Analisando-se o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a carga inflacionária sobre o preço do mobiliário no varejo nacional acumulou 11,05% em 12 meses até abril de 2023, experimentando uma queda considerável no mês seguinte, maio, quando atingiu 9,80% em 12 meses, mantendo-se alta e afastando os consumidores das lojas de móveis e colchões.

Analisando o preço médio dos móveis no varejo, este foi de R$ 279,71 por peça em abril de 2023, representando aumento de 0,39% em relação ao mês anterior. Em maio, o preço médio subiu para R$ 280,68, uma elevação de 0,35% em comparação com abril.

No caso dos colchões, o preço médio no varejo atingiu R$ 557,65 por peça em abril, o que representou uma queda de 2,18% em relação ao mês anterior. Em maio, contudo, o preço voltou a subir, ficando na média de R$ 570,14 e representando, assim, um aumento de 2,24% na variação mês a mês.

Compartilhe