a
Setor moveleiro apresenta "otimismo moderado" com produção em 2023Forest News | Forestnews

Setor moveleiro apresenta “otimismo moderado” com produção em 2023

Mesmo em queda na produção de móveis e colchões em volume no mês de janeiro, o setor moveleiro apresenta “otimismo moderado” com o atual momento do segmento.

Após reformulações nas metodologias de pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os dados da Conjuntura de Móveis, estudo da ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário) desenvolvido em parceria com o IEMI, demonstra que a produção caiu 3,6% em janeiro na comparação com dezembro de 2022, com 28,7 milhões de peças fabricadas no primeiro mês do ano.

Mas na comparação com o mesmo período de 2022 o indicador apresenta lata de 9,2% – um crescimento aguardado pelo setor moveleiro, mesmo que moderado.

O levantamento também demonstra que em termos de receita, a indústria moveleira alcançou R$ 5,5 bilhões em janeiro de 2023. Uma queda de 2,0% em relação ao mês anterior. No entanto, seguindo o observado no volume produtivo, o resultado de janeiro de 2023 caracteriza um
aumento de 9,0% na comparação com igual período no ano anterior.

Diante desse cenário, apesar da queda na produção e receita, usual para o primeiro mês do ano, o emprego na indústria moveleira registrou alta de 0,4% em janeiro de 2023 frente ao mês anterior.

Reafirmando, assim, certa confiança no setor após uma queda de 16,2% na produção de móveis e colchões durante o ano de 2022 (janeiro a dezembro).

O consumo interno aparente, que representa a disponibilidade de produtos no mercado interno, foi de 28,3 milhões de peças em janeiro de 2023. Uma variação negativa de 2,8% em relação a dezembro. Entretanto, o ano começou com uma elevação de 5,6% na comparação com janeiro de 2022.

Em relação à participação dos importados no consumo aparente, aliás, o índice alcançou 2,9% em janeiro deste ano. Dessa forma, as importações de móveis registraram o valor de US$ 14,3 milhões em janeiro de 2023, uma queda de 12,9% em relação ao mês anterior. Em fevereiro, houve uma recuperação, com o montante chegando a US$ 15,0 milhões, uma alta de 5,1% na comparação com
janeiro.

As exportações, por outro lado, registraram valor de US$ 45,1 milhões em janeiro de 2023, com o resultado configurando uma queda significativa de 25,1% em relação ao mês anterior. No entanto, em fevereiro de 2023, as vendas ao exterior voltaram a crescer, alcançando US$ 49,4 milhões, ou seja, salto de 9,6% em relação a janeiro.

Os indicadores apresentados reforçam um cenário gradual de reversão de perdas no setor moveleiro. Dessa maneira, ainda que os primeiros meses de 2023 tenham demonstrado oscilações, é importante considerar a elevação no consumo interno aparente e a manutenção do emprego na indústria de móveis nacional.

Nesse sentido, a alta na comparação com o início de 2022 pode indicar o início de uma retomada gradativa na produção e nas vendas, mas será necessário acompanhar os próximos meses para entender a consolidação dessa tendência e como ela se comporta no varejo.

Todos os dados do estudo Conjuntura de Móveis estão disponíveis neste link.

Compartilhe