a
Pesquisadores utilizam celulose no combate a infecçõesForest News | Forestnews

Pesquisadores utilizam celulose no combate a infecções

A celulose tem um dos mercados mais aquecidos entre as commodities, mas pesquisadores da Universidade de Linkoping na Suécia tem utilizado a matéria-prima como aliada no combate a infecções.

Os pesquisadores utilizarem a celulose como matéria-prima para criar um curativo que indica os primeiros estágios de infecção em um ferimento, evitando que as equipes médias tenham que trocar constantemente a bandagem – o que prejudica a cicatrização.

“Ser capaz de ver instantaneamente se uma ferida infeccionou, sem ter que levantar o curativo, abre caminho para um novo tipo de tratamento de feridas que pode levar a cuidados mais eficientes e melhorar a vida de pacientes com feridas difíceis de cicatrizar. E também pode reduzir o uso desnecessário de antibióticos” explica Daniel Aili, um dos pesquisadores do estudo.

A celulose consegue fazer a medição por meio da análise do pH da ferida. A epiderme não infectada apresenta pH de 5,5, enquanto que nos primeiros sinais de infecção o valor sobe para 8.

Para que o curativo apresente visualmente essa alteração no pH os pesquisadores usaram o azul de bromotimol, o BTB, um corante que muda de cor de amarelo para azul quando o valor do pH ultrapassa 7.

Dessa forma, a identificação precoce da infecção pode permitir que as equipes médicas tratem o paciente sem antibióticos.

“O uso de antibióticos torna as infecções cada vez mais problemáticas, já que as bactérias multirresistentes estão se tornando mais comuns. Se pudermos combinar a substância antimicrobiana com o curativo, minimizamos o risco de infecção e reduzimos o uso excessivo de antibióticos”, complemente o pesquisador.

Compartilhe