a
Ibá divulga Relatório Anual 2023 e mostra crescimento de 6,3% no setor de base florestaladmin | Forestnews

Ibá divulga Relatório Anual 2023 e mostra crescimento de 6,3% no setor de base florestal

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) divulgou nesta sexta-feira (17) o Relatório Anual 2023. O documento que reúne as principais informações do setor de base florestal no país apresenta crescimento de 6,3% e R$ 260 bilhões em receitas no segmento em 2022.

O documento foi apresentado durante cerimônia no Ministério da Fazenda, com o presidente da Ibá, Paulo Hartung, entregando o Relatório ao ministro Fernando Haddad.

As empresas de base florestal produziram 25 milhões de toneladas de celulose, 11 milhões de toneladas de papel – recorde em números em todos os relatórios feitos pela Ibá, além de 8,5 milhões de m³ de painéis de madeira.

O Relatório ainda aponta que o Brasil se manteve como o maior exportador de celulose do mundo, quebrando o próprio recorde ao exportar 19,1 milhões de toneladas.

O setor também vendeu no mercado externo 1,5 milhão de m³ de painéis de madeira, 2,5 milhões de toneladas de papel – números também recordes. As vendas geraram divisas no montante de US$ 14,3 bilhões ao Brasil, o que também configurou a maior marca histórica.

Esses recordes podem ser exemplificados pelo investimento de R$ 61,9 bilhões até 2028 previstos no setor de base florestal. Desse total, somente R$ 22,2 bilhões estão sendo investidos na nova fábrica da Suzano, em Ribas do Rio Pardo (MS). Com capacidade para produção de 2,55 milhões de toneladas de celulose por ano, a fábrica deve iniciar atividades em 2024.

O levantamento ainda apontou que atualmente o setor de base florestal planta, colhe e replanta árvores em 9,94 milhões de hectares no Brasil, expandindo-se principalmente sobre áreas previamente degradadas ou com baixa produtividade. O eucalipto segue como a cultura mais difundida nas áreas de cultivo, abrangendo 7,6 milhões de hectares (76%), seguido pelo pinus, com 1,9 milhão de hectares (19%).

Entre os estados, Minas Gerais continua liderando em extensão de áreas plantadas, com 2,2 milhões de hectares (29%), seguido por Mato Grosso do Sul, com 1,1 milhão (15%) e São Paulo, que mantém 1 milhão de hectares de áreas de cultivo (13%).

Além disso, o setor agora conserva outros 6,73 milhões de hectares de mata nativa – área maior que o estado do Rio de Janeiro, registrando aumento de cerca de 10% com relação ao ano anterior.

Outra prova da sustentabilidade do setor no Brasil é que somente em áreas preservadas e produtivas, o setor já estoca 4,8 milhões de toneladas de CO2 equivalente, contribuindo com a mitigação da crise climática.

Aprofundando-se na rota da descarbonização, o setor já gera 86% de toda energia que consome a partir de fontes renováveis, principalmente a partir do licor preto, um subproduto da fabricação de celulose.

Essa circularidade também está presente no pós-uso dos produtos do setor. Segundo dados da Ibá e IBRE/FGV, o índice de reciclagem das aparas de papel ficou em 69,9%. Quando considerado apenas o papel para embalagem, este número é de 75,8%, colocando o setor de papel brasileiro entre os maiores recicladores globais do produto.

Outro impacto positivo do setor de base florestal é a geração de 2,6 milhões de empregos diretos e indiretos no Brasil em 2022, segundo dados RAIS & ESG Tech.

“Vivemos um cenário de turbulências climáticas, geopolíticas e econômicas. Uma realidade complexa que também ecoa no Brasil. Mas, além de constatar e enfrentar desafios, é preciso que enxerguemos as oportunidades de cada tempo e saibamos aproveitá-las. Nesse processo, é fundamental ter em mãos as bússolas dos bons caminhos. Este Relatório Anual da Ibá é um verdadeiro mapa de saídas, rumos, alternativas e sinalizações para a travessia socioeconômica e ambiental que se impõe ao Brasil e ao planeta”, afirma Paulo Hartung, presidente da Ibá.

O relatório completo pode ser acessado neste link.

Compartilhe