Frameport tem reutilizado resíduos industriais para produção de biomassa

Frameport tem reutilizado resíduos industriais para produção de biomassa

A Frameport tem investido em maquinários e equipamentos para a produção de biomassa a partir do reaproveitamento de resíduos industriais. A empresa, referência mundial na fabricação de portas, buscou junto do Segmento Bruno Biomassa, da Bruno Industrial, as diretrizes para estabelecer esse projeto.

Dessa forma resíduos industriais como a maravalha da remanufatura, bem como os cavacos e serragem das serrarias, são transportados, armazenados e destinados para a produção de biomassa.

Histórico

O Grupo Frameport é formado pela Frame Madeiras Especiais (área industrial) e pela Juliana Florestal – a Frame foi fundada em 1979 e a Juliana em 1980. A companhia sempre trabalhou com beneficiamento de produtos de madeira, dos mais diversos, tendo como base a área florestal, com foco sempre na sustentabilidade e na valorização humana.

“A empresa está dobrando a produção e precisou investir na ampliação dos silos do transporte de resíduos. Buscando sempre esse foco na alta confiabilidade, baixo custo de processo e de manutenção. Então construímos silos novos, estamos instalando uma serraria nova com todo sistema de extração e transporte de resíduos automatizado, com um baixo custo de manutenção e de operação”, explica Marco Aurélio de Bortolo, coordenador da área de engenharia da Frameport.

Os resíduos saem da serraria separados em três tipos de produtos: casca, serragem e cavaco. Eles são então destinados aos silos horizontais, que têm três divisões e permitem alta flexibilidade na alimentação automatizada pela serraria ou através de uma moega. O resíduo pode ser extraído e dosado por roscas transportadoras e duas correias centrais que podem levar esse material para alimentação da caldeira ou sistema de carregamento de caminhões para a venda do produto.

Dessa forma a biomassa produzida pela Frameport gera energia via caldeira para os processos industriais da empresa e o restante é então destinado para a venda direta, fomentando o desenvolvimento sustentável. Atualmente a empresa contra com estrutura de um silo vertical, com três divisões, com capacidade de armazenagem de 10 mil metros cúbicos, e dois silos verticais de concreto com 1,5 mil metros cúbicos de capacidade cada.

“A parceria com a Bruno Industrial é muito positiva. Foi desde o início do desenvolvimento do projeto, pelo empenho e dedicação no desenvolvimento de várias opções, buscando juntamente da engenharia da Frame as melhores soluções técnicas. Vimos que a Bruno enfrentou os desafios, inclusive na época da pandemia, e entregou produtos com a qualidade e desempenho que esperávamos. Tivemos uma etapa de instalação, de início de processo e agora de operação, e todas ocorreram de forma muito tranquila”, continua de Bortolo.

E essa parceria entre Frameport e Bruno deve continuar buscando novas soluções para a produção de biomassa, inclusive para tentar encontrar maior potencial energético e valor agregado a esse produto.

“Os equipamentos entraram em operação, estamos alimentando a caldeira nova com os sistemas da Bruno. Mas em alguns pontos, com melhorias a serem feitas e a evoluir, e o pós-venda da Bruno sempre assumiu a responsabilidade no que lhe cabia e trouxe soluções para nossa parceria. Então estamos nessa etapa do pós-venda que é a solução de pequenos detalhes”, finaliza o coordenador.

 

Compartilhe:
Forest News

Forest News

A Forest Digital nasceu para ser a maior e mais completa plataforma digital de negócios e notícias do setor florestal, sendo a melhor opção para trabalhar a presença digital da sua empresa.