a
Cenário das exportações brasileiras de móveis e colchões foi de flutuações no primeiro semestreadmin | Forestnews

Cenário das exportações brasileiras de móveis e colchões foi de flutuações no primeiro semestre

Depois de alcançar o segundo melhor resultado do ano no mês de maio, as exportações brasileiras de móveis e colchões voltaram a cair em junho de 2023, quando totalizaram US$ 59,0 milhões na atividade mensal, uma queda de 12,4% sobre o mês anterior.

O desempenho no sexto mês do ano puxou o acumulado da atividade para baixo, com as exportações do setor fechando o primeiro semestre deste ano com recuo de 16,2% em comparação ao mesmo período em 2022.

Na primeira metade de 2023 foram exportados um montante superior a US$ 349,2 milhões frente a quase US$ 417,0 milhões no primeiro semestre do ano passado. Quando falamos no volume das exportações, o total acumulado de janeiro a junho de 2023 foi de pouco mais de 9,4 milhões de peças, enquanto em igual período no ano passado havia sido de mais de 11,2 milhões de peças exportadas.

Indo mais afundo em nossa análise, ao olharmos para os últimos 12 meses até junho, as exportações da indústria brasileira de móveis e colchões mostraram um recuo ainda mais pronunciado: -18,1% em valores exportados, ao acumular cerca de US$ 763 milhões no período.

Os dados fazem parte de levantamento do IEMI, com base nos dados oficiais da Balança Comercial brasileira, para o Projeto Setorial Brazilian Furniture, iniciativa idealizada pela ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário) e pela ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), com o objetivo de impulsionar a participação da indústria brasileira de
móveis no mercado internacional.

A queda nos resultados das exportações brasileiras de móveis e colchões, contudo, pode ser atribuída a uma série de fatores externos e interligados. Flutuações cambiais, com o processo de restabilização do Real Brasileiro sobre o Dólar Americano, além de desafios logísticos e a crescente concorrência internacional são fatores que pesam sobre o comércio exterior no setor.

A título de informação, aliás, para além do setor moveleiro, em 2023 o Brasil alcançou o maior superávit da história na Balança Comercial nos seis primeiros meses de um ano, com crescimento de 32% na média diária. Com avanço em todos os principais setores da economia brasileira, a indústria de transformação, contudo, foi a que alcançou a evolução mais tímida no período: +0,2%.

Outro ponto a se considerar é a diversificação dos destinos das exportações. Durante o primeiro semestre de 2023, os Estados Unidos continuaram sendo o principal importador de móveis e colchões brasileiros, respondendo por 31,7% do total exportado pelo setor. O Uruguai e o Chile também demonstraram negociações significativas, com participações de 9,9% e 6,9%, respectivamente.

No continente europeu destacam-se as exportações de móveis e colchões brasileiros para o Reino Unido (6,7% de participação), França (3,3%) e os Países Baixos (1,8%).

A ABIMÓVEL e a ApexBrasil, em parceria com órgãos públicos e as empresas do setor, estão dedicadas a traçar estratégias que possam reverter essa tendência negativa e ampliar a abrangência das exportações brasileiras de móveis e colchões.

“A busca por inovação, qualidade e competitividade global é fundamental para enfrentar os desafios atuais e para garantir um papel relevante do setor na economia brasileira. Nesse sentido, a colaboração entre a indústria, o governo e outras partes interessadas será crucial para revitalizar as exportações desse segmento e impulsionar o crescimento futuro, com a indústria brasileira de móveis tendo um potencial ainda bastante considerável a ser explorado no mercado internacional”, pontua o presidente da ABIMÓVEL, Irineu Munhoz.

Nesse sentido, destacam-se, aliás, o calendário de ações do Projeto Brazilian Furniture, que segue na próxima semana para o sul do país, promovendo rodadas de negócios com compradores internacionais por meio do Projeto Comprador durante a Fimma e a Movelsul, que ocorrem concomitantemente entre 28 e 31 de agosto em Bento Gonçalves (RS).

A contagem regressiva também está em curso para a Edição de Outono 2023 da High Point Market, que será realizada de 14 a 18 de outubro nos Estados Unidos, com a exposição de empresas brasileiras e Missão Comercial.

Compartilhe